Looking for something?

Experimentando por aí
Experimentando por aí

Corrida das Águas – Comendo pra continuar correndo

Novo quadro no Experimentando por aí.
Correndo pra continuar comendo.


Meu fi, tem a moral de começar um quadro novo junto comigo? Então borá. Esse é o “Correndo pra continuar comendo”. Nele vou mostrar algumas mudanças de hábitos que me fizeram emagrecer 20kg sem deixar de experimentar as coisas boas da vida. Hoje vou mostrar como foi a Corrida das Águas da Lebrinha. E aos poucos vou postando sobre o dia-a-dia. Agora da aquele play maroto, não esquece de dar um like no vídeo e compartilhar com os amigos. Depois de assistir, volta aqui e me diz o que achou nos comentários.

A ideia é compartilhar com vocês como é possível continuar experimentado as delícias da vida e ainda assim manter uma vida mais saudável. Peguei firme depois de ser incentivado pela minha noiva, Maria. Ela já corria, praticava Cross Fit, além de já ter praticado outros esportes.
Comecei caminhando na esteira com muita dificuldade. Fazia alguns exercícios na academia pra fortalecer os músculos. Tentei contratar um personal, mas acabou ficando fora do meu orçamento. Não estava tão cara, mas eu tinha outras prioridades no momento. Aliás, eu o indico, ele faz um trabalho excelente com minha amiga Célia do @tenisesainha, ele se chama Rafael Fogo (65 984487347), se precisarem, troca uma idéia com ele, o preço é honesto.

Depois de um tempo freqüentando a academia regularmente, comecei a dar pequenos trotes, ainda na esteira. Um dia decidi tentar ir pra rua, primeiro caminhando e depois trotando. Tempo vai tempo vem já estava correndo leve, que é o que eu faço hoje. Me inscrevi na Corrida do Bem (veja o vídeo) em 5km e fiz um bom tempo. Durante a corrida fui convidado, pela Maria pra corrermos a São Silvestre do ano que vem, aceitei tomara que consiga cumprir.
Quando vi as inscrições da Corrida das Águas aberta, tratei logo de fazer a nossa, mas enquanto fazia, a Maria me disse: “vamos de 10km?”. Pensei, repensei. Perguntei pra ela, será que eu consigo? Topei o desafio. Você sabe, né? Sou muleke doido do CPA, não arrego.

Dei uma intensificada nas corridas durante a semana, mas não passava de 6,5km. Confesso que já estava ficando preocupado de não conseguir completar a prova. Ainda tentando chegar ao objetivo, Pah! Maria me conta de uma corrida em Brasília chamada Circuito das Estações, que vai rolar agora em dezembro, mas assim, você lembra que eu não estava conseguindo fazer os 10km. E o que eu fiz? Me inscrevi. Haushaushaushaushausha
Além da preparação tem que ter um desafio e aquela velha dose de loucuragem, né?

Uma semana antes da Corrida das Águas eu consegui fazer 10km em 1h15, tempo alto pra corredores, mas excelente pra um gordinho em recuperação como eu. Animei, postei, mandei pra todo mundo e me emocionei. Sim, o muleke doido do CPA é bem chorão. 
Chegou a semana da prova. Subimos pra Chapada dos Guimarães na sexta-feira, ficamos na casa de uma prima querida minha, a Tatiana (obrigadoooooo Tati) e já ficamos na expectativa. No domingo, acordamos cedo, comemos uma fruta no café da manhã e #partiucorrida. Quando saímos da casa estava tudo branco. Uma neblina muito forte. E um clima beeeem gostoso.

Chegamos no local da largada, já tinha muita gente por lá e pouco a pouco fomos encontrando nossos amigos. Primeiro encontramos Thiago, Thifani, Dhiego, Fenanda, Zeca, Vaniele, Lisando e o Joaquim. Fui atrás da Célia do @tenisesainha e do Cairo (que estava torcendo pra chover e ele não correr. Haushaushauhsuas). Depois ainda encontramos João, Rafael, Jacqueline e a Vivi. Batemos um papo e deixamos as coisas no guarda-volumes, lá fomos nós pra largada.
O clima estava uma delícia e o percurso parecia ser bom de se fazer.

Foi dada a largada e adivinha? Vontade de fazer xixi. Segurei um pouco, mas depois do km 2, passamos por um posto e entrei pra ir ao banheiro, mas foi bem rapidinho. Alcancei a Maria e continuamos. Poucos metros a frente me deparei com um cara participando da corrida, de muletas. Pensei na hora, que a gente não faz as coisas porque não quer mesmo. Ele estava de muletas e não tinha um dos pés. Parabéns, meu nobre. Não o conheço, mas se um dia esse post chegar até você, saiba que é uma inspiração pra mim e acredito que pra todos.

Um pouco mais pra frente tinham várias pessoas mais velhas, uma mãe correndo e empurrando um carrinho de bebê, segundo a Maria, isso é bem normal nas corridas de rua. De qualquer forma, foi mais um tapa na minha cara pra provar que quando se quer fazer, faz. Quando passamos pelo km 3, no centro da cidade, veio um cheiro surreal de tutu de feijão, afeeeeeeeee. Devia estar gostoso demais.

Entramos na rodovia que dá acesso ao mirante, e ali começou a ficar um pouco mais difícil. O sol queria sair, não parecia, mas era uma subida. E o que deu uma mexida no psicológico foi ter a placa de 4km ao lado da de 9km (era um ponto os o percurso se cruzava). Na hora fiz as contas que eu teria que correr 5km ainda pra chegar até ali novamente. Concentrei e segui. Pegamos uma água pra hidratar, mantivemos o ritmo e passamos novamente por aquele ponto. Desafio psicológico vencido.

Faltava apenas 1km e o percurso já tinha voltado a ser gostoso, minha noiva do meu lado me incentivando, já dava de ouvir o som que rolava na praça. Cruzamos a linha de chegada, juntos, com 1h10m01, nosso objetivo era fazer abaixo de 1h15. Objetivo concluído e com louvor. Hehehehhe . A prova foi uma delícia, cheia de pessoas inspiradoras, bem organizada. Pra mim pecou em 2 pontos, ao atrasar a largada pois tinha gente na estrada subindo ainda. Eu entendo a preocupação, mas isso acabou sendo ruim pra quem já estava lá. E o outro ponto foi a medalha de acrílico, eu esperava uma medalha de metal. Isso não diminuiu em nada o brilho da corrida.Como eu disse, o evento foi sensacional, apenas esses dois pequenos pontos. Parabéns, Lebrinha pela iniciativa e Mercatto pela organização.

Eeeeeei, calma aí. Você achou que era só corrida? Nada disso. Depois ainda passamos e comemos um pastel delicioso no Delicious Potato, ali ao lado do pomodori, Eu comi um de carne, queijo, ovo e cebola e a Maria pediu um de bacalhau. Os dois estavam beeeem gostosos.
É isso amiguinho(a)! Essa foi mais uma experiência que compartilhei com vocês, se também estiver em um projeto pra melhorar a qualidade de vida ou for começar, compartilha com a gente. Deixem nos comentários o que acharam, se ainda tiver fotos da corrida me conte como foi usando a #experimentandoporai e/ou marcando @experimentandoporai no instagram. Se quiser também pode nos enviar ou nos marcar pelo Facebook (www.facebook.com/vamosexperimentar)

E aí, vamos experimentar?